Header Ads

  • Últimas

    Deslizamentos ligam o alerta nas estradas de Santa Luzia e Minas Gerais


    Chuva intensa dificulta o tráfego para quem deixou para sair da Grande BH no último dia do ano e provoca 36 deslizamentos em Belo Horizonte. Defesa Civil mantém alerta

    O motorista que deixou a viagem de ano-novo para a última hora encontrou barreiras no caminho da virada rumo ao ano de 2019, que começou hoje. A chuva intensa dos últimos dias, que aumenta o nível de saturação do solo, causou deslizamentos na Região Metropolitana de Horizonte, um deles fechando completamente a BR-381, entre Sabará e Santa Luzia, na Grande BH.  O obstáculo impôs sérias dificuldades no caminho rumo ao Espírito Santo, litoral Sul da Bahia e regiões de Minas Gerais como os vales do Rio Doce e Mucuri. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), as dificuldades fizeram os motoristas gastarem até quatro horas para percorrer um trecho de apenas 110 quilômetros entre BH e João Monlevade. Em Sabará, outro deslizamento na MGC-262 fechou por quase quatro horas o principal acesso à sede do município, só liberado depois da retirada da lama que bloqueou a pista. O Bairro Borba Gato, na mesma cidade, teve vários pontos embaixo d’água, causando prejuízo à população local. Na capital, As chuvas, onde foram registrados 36 deslizamentos de encostas, deverão continuar até amanhã e a Defesa Civil manteve alerta até as 8h de hoje.


    Como resultado da queda de uma barreira no Km 450 da BR-381, pouco depois do posto da PRF, houve longas filas tanto em direção ao litoral quanto na chegada a BH. A terra que desceu do barranco bloqueou os dois sentidos da estrada, único trecho rodoviário federal que permanece em pista simples no acesso a Belo Horizonte. O trânsito chegou a ficar cerca de duas horas e meia interrompido entre fechamentos totais e parciais, até que PRF autorizasse a liberação com segurança. A interdição total se deu na altura do Km 450, mas outros pontos até o trevo de Caeté também testaram a paciência dos condutores, com pequenos deslizamentos e alagamentos. Em frente ao posto Beija-Flor, ainda na saída de BH, um ponto de alagamento reduziu bastante a velocidade, gerando um longo congestionamento.

    O engenheiro Raylander Rocha Pessoa, de 41 anos, pegou um avião do Recife para Belo Horizonte e seguia de carro para Ipatinga, no Vale do Rio Doce, onde mora e passaria a virada com a família. “É complicada essa situação, mas espero chegar em casa até umas 15h e passar o Ano-Novo tranquilo”, disse ele, por volta das 11h30. “Esse tempo traz muito transtorno. Desde ontem (domingo) está chovendo bastante, mas como vamos para Ravena (distrito de Sabará), vai dar tudo certo”, disse o vigia Jaime Samos, de 37 anos. Em vários momentos, máquinas precisaram fechar a rodovia para remover lama, gerando filas na estrada. Como as chuvas seguem ininterruptas na Grande BH, uma opção de rota alternativa que pode ajudar os motoristas a evitarem a BR-381 no caminho rumo ao Espírito Santo é a BR-356 até Ouro Preto, para depois o condutor seguir para Mariana, Ponte Nova e Rio Casca, onde encontra a BR-262 rumo às praias capixabas.


    CAPITAL

    Só ontem, foram 36 deslizamentos registrados pela Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil (Supdec). Com isso, desde sexta-feira, os escorregamentos na capital mineira desde sexta-feira chegaram a 80 escorregamentos – 60 deles na Região Nordeste. O último mês do ano também fechou com números expressivos. A Defesa Civil constatou 106 deslizamentos em dezembro e vistoriou outras 61 áreas com risco de movimentação de terra na cidade, totalizando 167 chamados. Ainda em Belo Horizonte, o córrego Vilarinho chegou à cota máxima, o que levou agentes da Supdec à Região de Venda Nova. Contudo, o curso d’água não transbordou.

    Fonte: Estado de Minas

    Nenhum comentário

    Sejam Bem vindos ao Vitrine! Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seu autor. Não aceitaremos mais comentários anônimos. Caso queira dar sua opinião tenha uma conta no Google.

    Post Bottom Ad

    Rádio Vitrine Santa Luzia