Header Ads

  • Últimas

    PM veta compra de combustível com galão nos postos e impõe limite de R$ 100 por pessoa


    Em decisão tomada no fim da tarde desta segunda-feira pela Polícia Militar de Minas Gerais, a venda de combustível nos postos de todo o estado não poderá ser feito com galão. Outra determinação da PM é que a comercialização será limitada a R$ 100 por pessoa. De acordo com a corporação, a medida é necessária para garantir a segurança. Em nota, o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado de Minas Gerais (Minaspetro) confirmou as regras.

    A informação foi dada pelo comandante-geral da Polícia Militar, coronel Helbert Figueiró. Segundo o coronel, a princípio, o uso do galão foi proibido porque a corrida por combustível está gerando muito tumulto nos postos. As pessoas já começam a ser informadas sobre as regras (veja o vídeo ao fim da matéria). No entanto, em outros estabelecimentos, como em um posto na Rua Tupinambás, esquina com Avenida dos Andradas, no Centro, a venda em galões continuam sendo feitas (vídeo ao fim da matéria).

    Ainda de acordo com o Figueiró, com o galão não há como controlar se a pessoa está na fila para abastecer o veículo ou para revender. Assim, somente quem estiver com carro ou moto conseguirá comprar combustível neste primeiro momento.

    Veja lista de postos de BH e Contagem que receberão combustível nesta segunda-feira

    Com o limite de R$ 100 por pessoa, a quantidade de litros de combustível a ser comercializado vai variar dependendo do preço praticado por cada estabelecimento.

    Desde que começou a faltar combustível – reflexo do movimento dos caminhoneiros contra os seguidos aumentos no preço do diesel –, várias pessoas correram para os postos com galão na mão formando filas para comprar combustível.

    Confira a nota do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado de Minas Gerais (Minaspetro):
    Diante da divulgação da listagem de postos que serão reabastecidos na tarde desta segunda-feira (28) via escolta da Polícia Militar da Minas Gerais (PMMG), o Minaspetro confirma a veracidade desta relação de estabelecimentos, definida após reunião do Comitê de Crise Estadual formado por representantes do governo e PMMG, onde participaram o Minaspetro, representantes de companhias distribuidoras, ANP, Procon Estadual e Ministério Público.
    É fundamental salientar alguns pontos sobre esta decisão, que, ressaltamos, teve consenso dos participantes na reunião do comitê de crise, sendo o Minaspetro apenas mais um agente interessado em resolver os entraves do abastecimento na RMBH.
    Sobre o abastecimento dos postos, o Comitê de Crise esclarece que:
    – Os postos foram definidos por estarem localizados em regiões estratégicas, o que possibilitará o abastecimento por um número maior de consumidores em diversos pontos da RMBH; eles integram as redes das companhias Ipiranga e Raízen/Shell;
    – O valor máximo por cliente será de R$100,00, com o objetivo de contemplar um número maior de veículos;
    – Para garantir a segurança, o abastecimento em galões foi proibido, mesmo que estes sejam certificados pelo Inmetro;
    – A PMMG montou efetivo em cada um dos postos onde ocorrerá o reabastecimento para garantir a ordem pública antes, durante e depois de ocorrido o início da oferta de combustível à população.

    Fonte: Itatiaia 

    Nenhum comentário

    Post Top Ad

    Post Bottom Ad

    Info Drive