Header Ads

  • Últimas

    Estado descumpre decisão e bebê morre após ficar 43 dias esperando cirurgia no coração


    Família tinha decisão da Justiça para que procedimento fosse realizado. Segundo a Defensoria Pública, quatro crianças morreram em 2018 na mesma situação, após governo descumprir decisões.

    Foi enterrado na manhã desta segunda-feira (30) em Porto Nacional, a 52 quilômetros de Palmas, o corpo do bebê Davi Gabriel. O menino morreu neste domingo (29) após ficar 43 dias internado no Hospital Maternidade Dona Regina, em Palmas, esperando por uma cirurgia no coração. Durante metade deste tempo a família tinha uma ordem da Justiça mandando o Estado fazer o procedimento.

    A Secretaria de Saúde afirmou que aguardava a emissão do alvará, para usar o valor bloqueado pelo poder judiciário, e poder realizar a transferência, mas ele não foi emitido até o momento.

    "Muito ruim perder um filho por causa de dinheiro. Mesmo com a decisão não deram nenhuma resposta. O juiz mandou bloquear as contas e mesmo assim não conseguimos a cirurgia do meu filho", lamentou a jovem Camila Cerqueira das Neves, de 21 anos.

    O menino nasceu com uma síndrome grave no coração, chamada de cardiopatia complexa congênita. Os pais procuraram a Defensoria Pública e conseguiram uma decisão judicial no último dia 10 de abril para que o menino fosse transferido a outro estado. Porém o Estado não cumpriu.

    Depois, no último dia 24, foi determinado o bloqueio de verba para obrigar o governo do Tocantins a cumprir a determinação. Mesmo assim, a decisão para transferência do bebê não foi cumprida.

    "Nesses casos, quanto mais o tempo passa a situação do paciente piora. Foi o que aconteceu com esse assistido. Por isso temos ACP [Ação Civil Pública] para que o Estado regularize esses serviços", disse o defensor público Arthur Luiz de Pádua Marques.

    Segundo a Defensoria Pública, outras quatro crianças com cardiopatia morreram em 2018 esperando cirurgia. Em todos os casos havia decisão da Justiça determinando a realização dos procedimentos. Atualmente, há outro bebê na mesma situação esperando por cirurgia no coração.

    Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde afirmou que lamenta profundamente a morte do bebê Davi Gabriel e que já havia autuado o processo de compra para realização do procedimento cirúrgico do recém nascido. Porém, a secretaria disse que aguardava a emissão do alvará pelo poder judiciário para poder realizar a transferência, mas ele não foi emitido.

    Fonte: G1

    Nenhum comentário

    Sejam Bem vindos ao Vitrine! Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seu autor. Não aceitaremos mais comentários anônimos. Caso queira dar sua opinião tenha uma conta no Google.

    Post Top Ad

    ads

    Post Bottom Ad

    Info Drive