Header Ads

  • Últimas

    A história do homem que morreu tentando salvar mulheres e crianças do incêndio em prédio de São Paulo


    Ricardo já estava fora do edifício quando decidiu voltar e ajudar famílias que estavam nos andares mais altos.

    Ao menos um homem morreu nesta terça-feira (1) após o prédio pegar fogo e desmoronar no Largo do Paissandu, no centro de São Paulo. Identificado como Ricardo, de 30 anos, ele já tinha deixado o edifício quando decidiu voltar para ajudar famílias que estavam nos andares mais altos.

    Ricardo morava sozinho em um dos apartamentos do prédio há cerca de 4 anos e trabalhava no centro da cidade. De acordo com os vizinhos ouvidos pelo portal G1, Ricardo chegou a deixar o prédio, mas voltou para ajudar outros moradores.

    "Muitas mulheres moravam sozinhas e tinham crianças. Ele voltou para ajudar no resgate dessas famílias", disse Gerivaldo Araújo, ao portal.

    Por volta das 2h50 da manhã, Ricardo estava no edifício e tinha colocado o equipamento de segurança para ser içado pelos bombeiros.


    "Ele dizia: 'me tira daqui, por favor' e eu respondi: 'calma, confia em mim'", relata o Sargento Diego, bombeiro que tentou resgatar o morador. "Eu pedia a todo o momento para ele ficar calmo, e sinalizava com a lanterna e gesticulava o que ele tinha que fazer. Ele estava totalmente preso já".

    Apesar dos esforços, não deu tempo de salvar o morador.

    "Quando a gente estava terminando essa fase [colocar equipamento em Ricardo], o prédio acabou vindo abaixo, infelizmente acabou caindo seis ou sete andares sobre ele, tencionou a corda e ela não aguentou o peso e estourou. Eu não daria nem 30 ou 40 segundos para a gente finalizar o processo", disse o bombeiro.

    O homem ainda é considerado desaparecido pelos bombeiros, mas a corporação diz que as chances de Ricardo ter sobrevivido são mínimas. A corda e o cinto usados para o resgate foram encontrados nos escombros. Cães farejadores são usados para encontrar Ricardo e possíveis outras vítimas.

    "A gente fica chateado, com certeza. (...) Era uma vítima, uma pessoa que precisava de ajuda, que gritava por socorro. Mas a gente tem que entender que a equipe deu o melhor", lamentou o Sargento.

    Fonte: Huffpost

    Nenhum comentário

    Sejam Bem vindos ao Vitrine! Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seu autor. Não aceitaremos mais comentários anônimos. Caso queira dar sua opinião tenha uma conta no Google.

    Rádio Vitrine Santa Luzia

    Rádio Vitrine Santa Luzia

    Post Bottom Ad

    Política no Vitrine