Header Ads

  • Últimas

    Produtora e Casa de Shows pertencente a vereador de Santa Luzia dão calote em consumidores


    No dia 27 de Novembro de 2017, o Vitrine denunciou o que era indício de GOLPE publicitário envolvendo SHOW de um cantor Gospel que seria realizado na casa de Shows Guiné Music Hall (pertencente ao Vereador da atual gestão Vagner Guiné) no dia 12 de Dezembro do mesmo ano.

    Organizado pela Produtora Acervo produções e Eventos Ltda, o evento denominado "Santa Luzia pra Jesus" previa a apresentação do Cantor Gospel Fernandinho.


    Após denúncia do Vitrine de que o evento tinha indícios de golpe, já que a produção do cantor  havia informado ao portal que não tinha agenda na cidade, a produtora emitiu nota dizendo não ter mais interesse na realização do evento e que devolveria o dinheiro através de uma "Central de devolução" que ocorreria no dia 04/12/17. Declaração postada na Página oficial da Casa de Shows e que curiosamente não existe mais no Facebook.


    Nota de Cancelamento show Fernandinho

    A Acervo Produções e Eventos Ltda, responsável pelo evento denominado Santa Luzia Pra Jesus, que aconteceria raia no dia 12 de dezembro em Santa Luzia, com presença do cantor Fernandino vem informar que não tem interesse de realizara mais o evento. Os Ingressos vendidos serão devolvidos na Bilheteria do Guine Muisc Hall e não nos postos de vendas a partir desta segunda dia 04/12/2017. O motivo de ter que montarmos uma CENTRAL DE DEVOLUÇÃO é devido a termos que fazer a validação eletrônica dos ingressos a serem devolvidos.O Motivo do cancelamento e simplesmente pelo motivo do referido cantor não honrar seu compromisso, pois enviamos o contrato assinado no dia 31 de outubro e até data de hoje, não nos passaram. Como o referido cantor é o maior cancelador de shows, por motivos mais banais possíveis, basta consultar pelo Google quantos eventos o mesmo costuma cancelar e quantos processos o mesmo responde por cancelamentos de eventos, não dando a mínima para o seu público. Ficamos totalmente inseguro de efetuar o pagamento, mediante a recusa de nos enviar o contrato assinado, sendo que o nosso contrato assinado se encontra com eles desde do dia 31 de outubro, propomos até fazer o pagamento 100% do cachê, desde que nos enviasse o contrato assinado, mas mesmo assim não quiseram. É muito fácil ir na mídia e dizer que não horamos pagamento, conforme um contrato, que só nós enviamos o nosso na boa fé e eles nunca passaram o deles, nosso departamento jurídico tomara as providencia cabíveis dentro da lei e não vamos fazer pagamento nenhum, sem garantia de um contrato, preferimos fazer a devolução dos ingressos e fazer o cancelamento do evento.A Acervo Produções empresa com mais de 10 anos de mercado, não compactua e nem concorda com esta situação e deixa bem claro que ninguém ficará sem receber o seu ingresso de volta.A partir do dia (04/12) de Segunda a Sexta de 08:00 ás 12:00 e 14:00 ás 18:00 Hs, poderá ser retirado.
    Atenciosamente

    Acervo Produções

    Apesar da declaração da produtora através da Página da Casa de Shows Guiné Music Hall, poucos foram os fãs do cantor que receberam a devolução do valor cobrado irregularmente através da Página do evento.


    Como se não bastasse tanta confusão, o próprio anúncio confeccionado no site "Central de Eventos", não informa telefone, endereço do produtor, Ezequias Campos. Há apenas um link de contato, este que não funciona.

    Segundo nossos leitores, a casa de Shows não cumpre o que determina o Código de Defesa do Consumidor, já que marca data para a devolução e não disponibiliza funcionários para atender as solicitações. Há queixas de que a casa de Shows (Local onde a produtora informou que haveria devolução dos valores pagos) só fica fechada. O pior é que a produtora havia informado que montaria uma "CENTRAL DE DEVOLUÇÕES" no local.

    CASA DE SHOWS E PRODUTORA APAGAM PERFIS NA INTERNET


    Acima o print de um de nossos leitores que tentou contato com a produtora e casa de Shows para a devolução dos valores pagos. Segundo Helicio, a casa de shows, nem a produtora retorna seus contatos (isto há vários meses).

    A nota divulgada pela produtora através da página da Casa de Shows Guiné Music hall e que foi reproduzida na integra pelo vitrine (vide publicação acima) foi excluída do Facebook, assim como a Página oficial do evento, do produtor e da casa de Shows Guiné Music Hall. 

     A casa de Shows (Como o próprio nome indica), pertence ao Vereador Vagner Guiné. O Vitrine tentou contato com o Vereador para esclarecer a situação, porém até o momento de fechamento do artigo não havíamos recebido retorno. 


    Acima Prints da localização da Página através de uma consulta no Google e o aviso de exclusão por parte do Facebook. 

    Ao consultar sobre a casa de Shows no Google Imagens, há menção do evento e curiosamente, uma das imagens divulgadas pela Página da Guiné Music Hall, encontramos a imagem de um cantor de nome Fernandinho com a Tarja "Confirmado" mesmo declarando posteriormente que o evento não havia sido marcado com a produção do cantor! Abaixo a imagem da Página da Casa de Shows excluída do Facebook.



    A casa de shows não possui site oficial na internet e seus contatos são restritos à Guias. Os telefones informados não atendem assim como o endereço de E-mail. Ao leitor que foi lesado resta apenas ir pessoalmente à casa de Shows buscar uma solução, afinal, a mesma não disponibiliza canais para contato (pelo menos canais que funcionem). 


    O QUE DETERMINA A LEI

    De acordo com o Código de Defesa do Consumidor (CDC), um ingresso equivale a um contrato de prestação de serviço, cujo cancelamento dá direito ao reembolso (devolução do dinheiro). Mas o consumidor deve se atentar: no CDC, o prazo máximo para fazer a solicitação é de 30 dias após o cancelamento do evento – sendo que é dever dos organizadores a divulgação desse cancelamento nos mesmos canais de informação em que o show foi anunciado.

    Caso o pagamento foi feito em dinheiro, o consumidor deve ser reembolsado, na hora, também em dinheiro. Se foi feito no cartão de crédito, o responsável deve proceder ao imediato estorno do valor pago junto a administradora do cartão. Devem ser devolvidas, inclusive, “taxas de serviços” cobradas nos pagamentos feitos por cartões de crédito/débito.

    Quanto aos responsáveis pelo reembolso dos valores pagos, o consumidor tem direito a cobrar de qualquer das empresas envolvidas: tanto dos artistas ou cantores, do seu empresário, dos produtores do evento ou do próprio ponto de venda dos ingressos. Lembrando que, pelo Código de Defesa do Consumidor, todos são responsáveis.

    É importante ainda ressaltar que, se qualquer um dos envolvidos se negar ou dificultar o reembolso dos valores pagos pelos ingressos, o consumidor tem direito também a ser ressarcido dos prejuízos que comprovadamente tenha sofrido, bem como dos custos para ter seu dinheiro de volta. Ainda, dependendo do caso, por meio judicial os organizadores podem ser condenados a reparar os danos morais sofridos pelo consumidor.

    Fica aqui ainda a informação de que, mesmo que os organizadores aleguem não terem culpa do imprevisto que impossibilitou o evento, eles possuem obrigação de reembolsar os consumidores que assim solicitarem.

    Caso a situação não seja resolvida amigavelmente com os organizadores do evento, os consumidores podem procurar o PROCON, ou o Juizado Especial - onde podem buscar seus direitos, com ou sem advogado.


    Um comentário:

    1. Anônimo12:36

      O mm que aplicou o famoso golpe chamado mundo das coxinhas

      ResponderExcluir

    Post Top Ad

    Post Bottom Ad

    Info Drive