Header Ads

  • Últimas

    Mutirão da Cohab no Cristina alcançou índice de 95% de acordos


    O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) realizou 365 audiências relativas a demandas ainda não judicializadas ligadas à Companhia de Habitação do Estado de Minas Gerais (Cohab Minas) em Santa Luzia. 

     O esforço concentrado, de 16 de outubro a 6 de novembro, ocorreu no fórum da comarca e contou com a participação de profissionais voluntários e o apoio da Defensoria Pública de Minas Gerais (DPMG). A mobilização resultou em 347 acordos. As composições entre as partes representaram um montante de R$ 1.139.874,11.

     Para a juíza Edna Márcia Lopes Caetano, o mais importante da cooperação, que sanou pendências e regularizou a situação de vários moradores, é a repercussão social e a possibilidade de transformar a vida das pessoas para melhor. “Desde o primeiro dia, os trabalhos foram bastante produtivos. Estamos alcançando a população de baixa renda, pois iniciamos as atividades no distrito de São Benedito, com o conjunto habitacional Cristina, um dos maiores da América Latina”, explica. Ela conta que o convite para a ação partiu da 3ª Vice-Presidência do TJMG, responsável pela promoção dos métodos consensuais de solução de conflitos no Judiciário estadual mineiro.

     Política da conciliação 

     A magistrada, que acumula as funções de diretora do foro e de coordenadora do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc), conta que a companhia analisou caso a caso e se dispôs a parcelar dívidas, dar descontos e entregar a escritura pública para pessoas que, embora não possuíssem a documentação, já residiam no local há décadas. Mencionando o entusiasmo dos conciliadores, que atuaram gratuitamente, a magistrada ressaltou que outro fator fundamental foi a parceria com a Defensoria, que prestou esclarecimentos e orientou a população durante as audiências.

    “Não queríamos que o cidadão se sentisse desamparado para decidir. É importante promover os meios consensuais de solução de conflitos, porque eles são pacíficos e ágeis, mas o cidadão precisa ver que está sendo assessorado e que não terá seus direitos lesados”, argumenta. “Em doze anos de profissão, essa foi uma das ocasiões mais gratificantes para mim. O retorno foi imediato, enxergamos a alegria no rosto das pessoas. Pudemos assistir a cenas comoventes, aguardadas há anos”, conta. Segundo Edna Caetano, o engajamento da comunidade, inclusive da imprensa local, foi decisivo para o resultado positivo. Ela acrescenta que, diante do sucesso da iniciativa, já está programado mais um mutirão, com uma pauta de mais 360 audiências, em data ainda a ser definida.

    A avaliação do administrador do fórum, Carlos Eduardo Rabelo, vai ao encontro do que disse a magistrada. Para ele, este foi o mutirão mais gratificante e um dos trabalhos mais bem-sucedidos já realizados na Justiça de Santa Luzia. “As pessoas realmente saíram muito satisfeitas com os acordos, algumas já com as escrituras nas mãos, sem burocracia e com agilidade”, comemorou o servidor. Ele disse que durante a Semana da Conciliação, que será realizada no período de 27 de novembro a 1º de dezembro, também serão realizadas audiências relativas a demandas com a Cohab.


    Convênio

    Em março de 2017, o TJMG selou um convênio para possibilitar a negociação de litígios processuais e pré-processuais envolvendo o programa habitacional do governo estadual. A motivação para a parceria foi a grande quantidade de demandas judiciais ou mesmo pré-processuais referentes às habitações populares no estado. Levantamentos também apontaram a existência de vários contratos de habitação em situação irregular. O convênio vai imprimir celeridade à solução desses litígios, viabilizando a celebração de acordos.

    Na ocasião, o presidente da Cohab, Alessandro Marques, ressaltou que, em seu período de existência, que ultrapassa 51 anos, a Cohab entregou 125 mil unidades habitacionais em 600 municípios. No Estado, hoje, diversas famílias detêm a posse de imóveis sem serem proprietárias formalmente. Isso resultou em quase 1,6 mil processos judiciais, sem mencionar irregularidades concernentes ao pagamento e as escrituras, que chegam a ser dezenas de milhares.


    Fonte:
    Assessoria de Comunicação Institucional - Ascom
    Tribunal de Justiça de Minas Gerais - TJMG
    (31) 3306-3920
    imprensa@tjmg.jus.br
    facebook.com/TJMGoficial/
    twitter.com/tjmgoficial
    flickr.com/tjmg_oficial

    Nenhum comentário

    Sejam Bem vindos ao Vitrine! Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seu autor. Não aceitaremos mais comentários anônimos. Caso queira dar sua opinião tenha uma conta no Google.

    Rádio Vitrine Santa Luzia

    Rádio Vitrine Santa Luzia

    Post Bottom Ad

    Política no Vitrine