Header Ads

  • Últimas

    ALERTA: Idosos têm que correr para não ficarem sem assistência

    Quem não se recadastrar até dezembro pode perder o Benefício de Prestação Continuada em 2018


    Duas assistentes sociais de Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, chegaram à casa de dona Maria das Graças do Carmo, 66, no bairro Homero Gil, e a avisaram que ela precisava fazer a inscrição no Cadastro Único (CadÚnico) para continuar recebendo o Benefício de Prestação Continuada (BPC) de um salário mínimo, do governo federal. Caso ela não o fizesse, ficaria sem a ajuda mensal a partir do próximo ano. “Tá doido, eu não posso ficar sem isso, não. Já é pouco dinheiro”, reagiu ela, de imediato, contando que usa o dinheiro para comprar comida, remédios e ajudar a filha e os três netos. Assim como dona Maria das Graças, milhares de idosos podem perder o BPC por desconhecer a nova exigência.

    Apesar de ser um programa nacional, a Prefeitura de Betim e outras gestões municipais estão fazendo busca ativa nas casas para alertar os idosos. O prazo dado para isso foi de um ano, iniciado no princípio de 2017, a terminar em 31 de dezembro próximo, mas muita gente ainda não se regularizou.

    Em Belo Horizonte, até a última semana, do total de 15.097 idosos beneficiários do BPC, apenas 2.261 tinham realizado o cadastro. Em Betim, dos cerca de 2.000 idosos, apenas 658 realizaram o CadÚnico. “O governo fez essa alteração e não comunicou aos idosos, saiu no ‘Diário Oficial da União’ o Decreto 8.805 de julho de 2016, mas ninguém lê. Vários municípios estão tendo dificuldade com esse chamamento da população”, afirmou a secretária municipal de Assistência Social de Betim, Fabiane Quintela.

    Ela acredita que o resultado seria melhor se o governo tivesse alertado os idosos na “prova de vida” – quando eles comparecem ao INSS anualmente para recadastrar a senha e comprovar que continuam vivos. “Mas não há um interesse do governo federal nisso”, aponta. De acordo com ela, o governo federal não divulgou adequadamente a obrigatoriedade da inscrição no CadÚnico para manter o benefício previsto na Lei Orgânica da Assistência Social (Loas).

    Assistência. Os idosos que deixarem de receber o benefícios serão um gasto a menos para a Previdência Social, mas, sem a renda mensal, acabarão onerando os municípios em áreas como assistência social e saúde.

    “Muitos (idosos) precisam desse dinheiro para sustento deles e da família”, disse Fabiane. Ela lembrou que a pasta da Assistência Social é sobrecarregada. “Da certidão de nascimento à taxa de sepultamento, tudo é feito na secretaria. Atendemos violação de direitos, restaurante popular, abrigos...”, explicou.

    A previsão é que o governo federal corte em 97% os recursos da assistência social em 2018.

    Fonte: O Tempo

    Nenhum comentário

    Sejam Bem vindos ao Vitrine! Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seu autor. Não aceitaremos mais comentários anônimos. Caso queira dar sua opinião tenha uma conta no Google.

    Rádio Vitrine Santa Luzia

    Rádio Vitrine Santa Luzia

    Post Bottom Ad

    Política no Vitrine