Headlines
Título do Artigo:
Escrito por Moderador

Crise: Depois do Ponto frio, Casas Bahia também será vendida

A Via Varejo, empresa dona da Casas Bahia e do Ponto Frio, está oficialmente à venda e os rumores sobre interessados em assumir a operação já começam a circular no mercado. Segundo o jornalista Ralphe Manzoni Jr., da Istoé Dinheiro, a Lojas Americanas, o grupo chinês Alibaba e os fundos americanos de investimento Advent e Carlyle devem apresentar nesta semana uma proposta para comprar a rede brasileira de varejo. 



O interesse da Lojas Americanas circula no mercado desde o fim do ano passado. A empresa não confirma nem desmente a informação. A rede é controlada pelo grupo 3G Capital, do trio Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira, e teve lucro líquido de R$ 211,6 milhões em 2016.
O Alibaba, gigante do comércio eletrônico chinês, também quer comprar a Via Varejo, segundo a Istoé Dinheiro. No Brasil, o grupo opera apenas no e-commerce, com o site Aliexpress. O site vende desde eletrônicos a produtos para cama, mesa e banho, todos itens importados. Na China, o Alibaba possui lojas físicas.
Os outros interessados são dois fundos de investimento americanos. A Carlyle é dona das marcas Tok&Stok e RiHappy no Brasil e se desfez recentemente da CVC. Já o Advent tem participações em 20 empresas com atuação no país, nos segmentos de educação, tecnologia, alimentação e moda.

À venda

O anúncio da venda da Via Varejo foi feito pelo Grupo Pão de Açúcar (GPA) no ano passado. O grupo é o maior acionista da rede varejista, com 62,6% das ações ordinárias e 43,3% do capital total. Em novembro, anunciou que iria vender a sua parte na rede de varejo para se dedicar somente ao setor supermercadista.
Já a Via Varejo nasceu em 2010, após a fusão da Casas Bahia, pertencente à família Klein, e do Pontofrio, pertencente ao GPA. A união gerou, na época, uma gigante do varejo brasileiro, com 1,5 mil lojas em quase 350 municípios brasileiros. O valor do negócio não revelado, mas, juntas, as empresas faturavam R$ 40 bilhões.
Só que com o passar do tempo, a Via Varejo foi sentindo o baque da crise econômica e da concorrência com o comércio digital. No ano passado, a rede teve prejuízo de R$ 95 milhões, com as vendas recuando 1,9%. O número de lojas fechadas chegou a 47 lojas em 2016, contra a abertura de apenas oito. A empresa encerrou o ano com 975 lojas, sendo 223 do Ponto Frio e 752 da Casas Bahia.
Não à toa, o GPA decidiu colocar a sua parte à venda. Segundo o estrategista-chefe da Eleven Financial, Adeodato Volpi Netto, a Via Varejo virou o patinho feio do grupo fundado por Abílio Diniz. “A Casas Bahia não se atualizou e o Ponto Frio ficou perdido. E o que parecia ser uma combinação entre duas marcas com grandes sinergias, não gerou resultado.”
Ele também não acredita que a venda será fácil. “Não é uma venda simples e o valor pode sair por menos do que o esperado pelo GPA”, diz Volpi Netto.

Mais Informações

Postado por Moderador às 12:15. Marcadores , , , , , , . Assine Grátis nosso Feed RSS 2.0. e receba notícias em seu e-mail

Por Moderador às 12:15. Marcadores , , , , , , . Todos os artigos Possuem Licença Creative Cummons 6.0. Cópias são permitidas somente citando a fonte com Link

0 comentários for "Crise: Depois do Ponto frio, Casas Bahia também será vendida"

Leave a reply

INFO DRIVE

Rádio Vitrine Santa Luzia

Publicidade