Header Ads

  • Últimas

    Roseli Divulga nota oficial e declara: "Vou assumir e Estaremos juntos em 2017,18,19 e 2020"


    Roseli Divulga nota oficial e declara: "Vou assumir e Estaremos juntos em 2017,18,19 e 2020". Confira a nota oficial divulga no Perfil Oficial da Prefeita de Santa Luzia:

    NOTA OFICIAL
    RESPONSABILIDADE, GESTÃO E TRANSPARÊNCIA
    Vivemos dias difíceis na história de nosso país e principalmente de nossas cidades. O jogo político toma a cena com mentiras bem contadas que minam a credibilidade de quem não tem tempo nem espaço para se defender e é atiçado por alguns setores de mídia sensacionalista. Quem trabalha não tem tempo para se defender, porque gasta seu tempo trabalhando, mas pessoas mal intencionadas e que em detrimento dos dados, constroem histórias que são tomadas como verdade de tudo, e que muitas vezes só vem tardiamente absolver os injustiçados porque no final o resultado é quem aparece.
    Mas a única verdade verdadeira é a verdade vivida.
    E o único fato objetivo é aquele que podemos sentir nos nossos pequenos problemas cotidianos, como salários em dia, esquemas de corrupção desfeitos e atitudes tomadas. Este reconhecimento vem de duas maneiras: por fatos e dados.
    Mais da metade das prefeituras em Minas Gerais ainda não sabem como vão pagar o salário de dezembro e o 13º salário dos servidores públicos. Levantamento da Associação Mineira de Municípios (AMM) aponta que em 51,5% das 853 cidades a crise financeira ameaça os direitos trabalhistas e põe também em xeque o cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Com a corda no pescoço, prefeitos reduzem serviços como a manutenção de estradas, corte de grama e decoração de Natal para tentar enxugar os gastos. Contratados e Comissionados demitidos, fornecedores quebrando e empenhos fraudulentamente cancelados a fim de burlar as contas e apresentar números irreais, fruto da irresponsabilidade fiscal, do populismo e de alianças espúrias feitas com o único objetivo de beneficiar uns poucos.
    Estes são fatos da maioria das cidades mineiras. Decisões ruins, incompetência administrativa, prejuízos públicos, benefícios privados. E tudo para analisar a verdade através dos dados, uma palavra apenas é necessária: Orçamento.
    Onde existe o abuso, o esquema, a má gestão, a incompetência e a corrupção, é impossível sobrar dinheiro. Pelo simples fato que estes são financiados com dinheiro público e por isso nunca sobra. Nunca dá, é onde o servidor, o cidadão e os serviços públicos pagam o pato. É a falta de médicos e insumos na UPA, é a coleta de lixo que não acontece, é a educação que não funciona, a creche que fecha, o hospital que não atende. Tudo isto acaba sendo o fruto da política podre, populista que se utiliza de meios para “comprar” ou se beneficia do PODER para se manter no poder... e a conta logo aparece.
    Os dados mostram que 21 estados estão quebrados e só em Minas mais de 51% dos municípios não honram a folha de pagamento. Mas os mesmos dados (indicadores financeiros) mostram que aqui, em nossa cidade, a responsabilidade na gestão da coisa pública e a transparência na atitude, destoa da realidade da maior parte dos municípios mineiros e dos 21 estados do Brasil.
    Os dados aqui mostram uma observância estrita (que não é virtude, mas obrigação) do respeito aos contratos licitamente efetuados, do respeito aos compromissos financeiros com servidores efetivos, comissionados e diretamente contratados pela prefeitura e pela manutenção ininterrupta e de qualidade dos serviços essenciais à população. Por aqui, embora mais da metade dos municípios esteja com “pires na mão” pedindo pelo amor de Deus ajuda a algum ente federativo (tão quebrado quanto eles mesmos), celebramos o fim de mandato com superávit, contas em dia e atitudes corajosamente tomadas com a quebra de esquemas que funcionavam por décadas na cidade e com a participação clara do Ministério Público, órgãos de controle e principalmente, fatos e dados públicos auditados, disponíveis a qualquer cidadão que os queira em detalhes. Por aqui, salário não atrasa, fornecedor sério e que comprove o serviço executado recebe em dia, cerca de 14.000 atendimentos são feitos em uma UPA que pela média de similares não chega a 9.000. Enquanto os demais discutem a falta, nossa questão é a sobra, que muitas vezes usada politicamente para confundir o cidadão, por si só, fala. Se sobra e nada falta é porque responsabilidade, planejamento e austeridade na administração da coisa pública foram princípios observados.
    Em um ano foram feitas muitas mudanças positivas na cidade toda, como melhorias na saúde, a volta do Samú, as obras e as pavimentações que em 40 anos a cidade não tinha. Isto sem citar a educação e outras concretizações que são o início de um governo sério e voltado para as pessoas.
    Fatos e dados oficiais, comprovados e públicos atestam que nossa cidade vive uma realidade privilegiada, e que por ação política oportunista de uns poucos que não aceitam o resultado das urnas, chegam de forma deturpada a população que utiliza maldosamente por grupos mal intencionados com o único objetivo concreto de se locupletar no resultado até aqui garantido com esforço e seriedade. Fatos e dados comprovam que enquanto cidades não tem recurso para a folha do funcionalismo, Santa Luzia desfruta da possibilidade de ao fim de um exercício fiscal duro e complexo como 2016, com capacidade de investir sobras e mais de 50 milhões de reais, depois de descontadas todas as obrigações financeiras contraídas.
    Fatos e dados oficiais comprovam que a capacidade de investimento é resultado de administração séria, austera e inteligente. Caso contrário não sobra. Falta como está acontecendo no resto do Brasil. A ação rápida da gestão na suspensão de contratos suspeitos, o corte de benefícios indevidos, o afastamento imediato de qualquer servidor ao menos sinal de suspeita, criou um ambiente adequado para que a garantia de serviços essenciais e que produzem a qualidade de vida da população se mantivessem intactos, e que, mesmo com a ação politicamente motivada de uns poucos, não prosperou. A população reconheceu os méritos e renovou a confiança na atual administração por mais um mandato.
    O único uso da máquina pública foi para garantir os objetivos pelos quais fomos eleitos. E se houvesse abuso, certamente não sobraria, pois o abuso custa caro e a conta aparece na sequência, em geral como cortes, demissões, atrasos de salários e benefícios, projetos paralisados e descontinuidade.
    Fatos e dados mostram uma cidade com 13º salários garantidos, que continua investindo, que continua criando, e que continua agindo rapidamente ao menor sinal de desvio de condutas.
    Fatos e dados mostram que a cidade foi a única que renovou os votos de reeleger uma prefeita com apenas 200 dias de comando na cidade. E estes mesmos fatos de dados mostram que o povo reconheceu este trabalho. A pontualidade nos compromissos financeiros e a entrega de serviços de espera histórica no município trouxeram a credibilidade e o reconhecimento, e com isto, votos.
    O engajamento voluntário de cidadãos, servidores públicos e empreendedores, além da beleza de uma campanha que se limitou a propor o novo e mostrou no curto tempo que há espaço para uma gestão diferente, já atuou de maneira diferente, mesmo sofrendo ataques sempre imorais, indignos até mesmo de comentários.
    A luta continua, pois as inverdades permanecem. Nosso respeito às decisões tomadas pelo judiciário, não nos tira o direito de defesa e de recurso, e garante que a verdade tende a surgir, não no calor da luta da velha política que cria fatos e dados, mas da clareza de objetivos e na voluntária adesão de um povo que foi testemunha de que houve total respeito às leis, que acompanhou, se envolveu e entregou mais um mandato com a certeza de que mudamos já a forma de gerir a cidade com todos os seus problemas.
    Orgulhosos do trabalho feito até aqui, entregaremos em 31 de dezembro de 2016 uma cidade financeiramente sólida e saudável, com compromissos concluídos, contas em dia, servidores motivados, e com salários e benefícios em dia e principalmente dinheiro em caixa para os futuros investimentos nos próximos quatro anos que ainda caminharemos juntos. E para o poder judiciário, deixamos a responsabilidade de condenar ou absolver àqueles que assim o merecerem.
    Estamos certos de que, enquanto o Brasil, os estados e os municípios enfrentarão o ano de 2017 com absoluta incerteza financeira e social, nós já temos resguardado com fatos e dados um orçamento superior ao anterior, com superávit de 2016, capacidade de investimento e atração de investidores e empreendedores, garantindo emprego, renda, bem estar social, saúde e segurança a toda população e a quem em nossa cidade acreditar, pois serão recebidos com braços abertos, e costumeira hospitalidade mineira.
    Estamos certos que superaremos os desafios do momento e contamos com o cidadão para esclarecer que estes resultados não sejam perdidos e embolsados por velhos esquemas quer parasitam há anos nossa cidade.
    Democracia é voto, respeito às instituições, diálogo e gestão compartilhada. Seja junto ao executivo, aos conselhos municipais, a Câmara dos Vereadores, Ministério Público e demais órgãos aqui não citados, estaremos juntos em 2017, 2018, 2019 e 2020 para garantir uma Santa Luzia com cara nova, com saúde, segurança, saneamento básico, asfalto e transporte coletivo decentes que serão entregues com o dinheiro do povo e para o povo. E não apenas para benefício de uns poucos. As inverdades veiculadas e financiadas pelos interesses contrariados de adversários que nem em nossa cidade vivem, serão superadas, desmentidas e corrigidas pelo poder judiciário que tanto acreditamos e que já tem demonstrado com fatos e dados que deseja mudar o país, a velha política e punir aqueles que durante tanto tempo viveram às custas do sacrifício e sofrimento de quem de fato, e com dados, paga toda a conta destas distorções e injustiças.
    Fatos e dados oficias e transparentes. Com ele trabalhamos, com eles esclarecemos e com eles desmentimos os oportunistas que, pelas urnas, o povo não elegeu e não deu voto de confiança.
    QUANTO AOS FATOS
    Na decisão proferida no Processo 479-06.2016.6.13.0246, a respeitável sentença foi um pronunciamento de 1ª instância, sendo que a decisão definitiva somente ocorre após o esgotamento dos recursos na segunda instância e na instância especial. Podendo o processo ser julgado pelo Tribunal Regional Eleitoral, e possivelmente pelo tribunal Superior eleitoral e/ou Supremo Tribunal Federal.
    A fundamentação da decisão, em sentença amplamente divulgada pelas mídias sociais, tem seu principal fundamento no artigo 73, III, da Lei 9.504, de 1997, que diz: “São proibidas aos agentes públicos, servidores ou não, as seguintes condutas tendentes a afetar a igualdade de oportunidades entre candidatos nos pleitos eleitorais”.
    Diretoras, como qualquer outro funcionário público, são cidadãos e podem apoiar e fazer campanha para quem assim acreditar que seja o melhor para administrar, em momento algum foi comprovado nos autos, que algum servidor público tenha feito campanha, em horário de expediente, ou nas dependências do setor que trabalha, e muito menos se valendo do cargo para ameaçar ou coagir.
    É oportuno ressaltar que não houve cassação, que como prevê nossa constituição, tenho direito a plena defesa e recursos em várias instâncias de efeito suspensivo, ou seja, acontecerá normalmente a diplomação e a posse, prevalecendo então a democracia e a vontade popular.
    Sobre os boatos que vem sendo espalhados pela cidade, vale informar que as origens deles já foram identificadas, e é publico e notório que o grupo da oposição vem de longa data tentando expor minha imagem e a de meus familiares, pois desde que assumi a responsabilidade de administrar o Município, várias matérias e postagens difamatórias e caluniosas vem sendo amplamente divulgadas em redes sociais e mídias pagas. Uma atitude lastimável pra deturpar a verdade. De acordo com um levantamento, mais de 100 perfis falsos realizam ataques diários e alguns são impulsionados.
    Não permitiremos que qualquer ato venha ferir não apenas o direito de administrar com qualidade, mas também o direito de escolha do eleitor, isto sim é democracia.
    É Roseli de novo, continuando com a mesma força de trabalho, com a mesma dedicação e com a mesma capacidade de resistência, coragem e ousadia de mudar a forma como a cidade vem sendo sugada e vampirizada.
    Temos o respeito de posições contrárias, mas temos o respeito e a fé em quem faz com o coração.
    Estaremos juntos, sempre. É Roseli de novo, junto do povo com a mesma emoção!
    Roseli Pimentel

    Nenhum comentário

    Sejam Bem vindos ao Vitrine! Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seu autor. Não aceitaremos mais comentários anônimos. Caso queira dar sua opinião tenha uma conta no Google.

    Rádio Vitrine Santa Luzia

    Rádio Vitrine Santa Luzia

    Post Bottom Ad

    Política no Vitrine