Header Ads

  • Últimas

    Dia do Maquinista: As histórias por trás da Profissão


    Em Minas Gerais, profissionais são exemplos do amor pelos trens 

    No dia 20 de outubro, é comemorado no Brasil o Dia do Maquinista. Mas quem vê este profissional conduzindo um trem, seja de carga ou de passageiros, não imagina as muitas histórias e curiosidades que estão por trás de uma profissão que mexe com o imaginário de crianças e adultos. A VLI, empresa que administra a Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), tem no seu quadro de empregados alguns profissionais que, além de trabalharem na mesma empresa, compartilham a realização do mesmo sonho.

    Em Araguari, no Triângulo Mineiro, Gerson Soares é pai de Guto Soares. Os dois representam duas das três gerações de uma mesma família que escolheram trabalhar na ferrovia. “Tudo o que temos hoje é graças à ferrovia e gosto muito de trabalhar viajando”, revela o pai, que trabalha há 10 anos como maquinista. O filho atualmente trabalha como oficial de operações ferroviárias, cuja função é auxiliar maquinistas nas manobras das locomotivas de pátio, mas já tem um objetivo firmado. “Desde pequeno tive muito contato com o serviço do meu pai e fui me apaixonando pela profissão. O meu sonho é ser maquinista e estou na expectativa”, conta.

    Em Montes Claros, no Norte do estado, José Edmar, 32, trabalha como maquinista há nove. Aprendeu o ofício com o próprio pai, de mesmo nome, que é maquinista aposentado e foi um dos professores que treinaram os novos admitidos na profissão. José Edmar, o pai, trabalhou por 35 anos na ferrovia e foi a inspiração do filho para seguir a carreira no setor. “Eu cresci próximo à linha férrea, tinha vários parentes que trabalhavam na ferrovia. Sempre escutei as histórias do dia a dia do meu pai e fiquei atraído por estar sempre viajando e o trem ser um meio de transporte tão grande e diferente”, conta.

    Já em Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas, as semelhanças dos irmãos Ramon e Renan, de 27 anos, não se limitam aos nomes e ao fato de serem gêmeos. A profissão também é um ponto comum na vida dos dois, que são filhos de um maquinista e resolveram seguir a mesma profissão do pai. Nascidos em Lavras, eles foram transferidos para Divinópolis onde moram junto há alguns meses.

    É uma satisfação grande poder ser colega do meu irmão, trabalhamos na mesma empresa e o nosso pai tem muito orgulho de nós”, conta Renan. Para ele, a profissão o atraiu devido à mudança de rotina. “Cada dia é diferente do outro, tem uma novidade”, explica. Já Ramon foi bastante influenciado ao ver o pai trabalhando. “Foi uma grande motivação dar continuidade à profissão do meu pai, a ferrovia está no sangue da minha família”, conta.


    Para ministrar treinamentos e formar a mão de obra especializada que precisa, a VLI possui o Centro de Especialização e Desenvolvimento (CED), localizado na oficina em Divinópolis e reconhecido como referência em treinamentos técnicos na área de logística.  A unidade já recebeu visitas de benchmarking de empresas do segmento logístico, inclusive de outros países. De 2012 a 2015, o CED da VLI já capacitou 3.840 pessoas para a profissão de ferroviários, tanto maquinistas como técnicos especializados em locomotivas ou ferrovias em geral.

    A VLI também conta com a Unidade Móvel de Treinamentos, uma das alternativas encontradas pela empresa para ter uma atuação mais eficiente na formação de mão de obra nas diversas regiões de atuação. Essa estrutura volante é adequada para treinamentos locais, e contém, além de todos os recursos de uma sala de aula tradicional, equipamentos que permitem aos alunos realizarem a parte prática (simulações e testes).

    Sobre a VLI

    A VLI tem o compromisso de apoiar a transformação da logística no País, por meio da integração de serviços em portos, ferrovias e terminais. A empresa engloba as ferrovias Norte Sul (FNS) e Centro-Atlântica (FCA), além de terminais intermodais, que unem o carregamento e o descarregamento de produtos ao transporte ferroviário, e terminais portuários situados em eixos estratégicos da costa brasileira, tais como em Santos (SP), São Luís (MA) e Vitória (ES). Eleita a melhor empresa de infraestrutura do país pelo anuário Épocas Negócios 360º e escolhida como uma das 150 melhores empresas para se trabalhar pela revista Você S/A, a VLI transporta as riquezas do Brasil por rotas que passam pelas regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste.

    Nenhum comentário

    Sejam Bem vindos ao Vitrine! Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seu autor. Não aceitaremos mais comentários anônimos. Caso queira dar sua opinião tenha uma conta no Google.

    Rádio Vitrine Santa Luzia

    Rádio Vitrine Santa Luzia

    Post Bottom Ad

    Política no Vitrine