Headlines
Título do Artigo:
Escrito por Moderador

Pesquisa e fraude eleitoral


As pesquisas eleitorais divulgadas até aqui  pelos diversos institutos pecam  pelas relações íntimas de seus executivos com os grupos politicos em disputa.

E podem pecar pela verdade, vergonhosamente sonegada ao público. Há uma evidente irresponsabilidade compartilhada com a mídia, que as divulga.

É só comparar os números: não batem.

Por ser um instrumento cientifico de coleta, uma pesquisa, comparada a outra, com a mesma base de dados, não precisa ser idêntica: o diferencial é a margem de erro aproximada.

O que se tem visto é criminoso.

O registro na Justiça Eleitoral não é atestado de confiança.

As eleições de 2014 revelaram fraudes em pesquisa que a Justiça Eleitoral não puniu, mas a empresa saiu do mercado ou mudou de nome  diante de evidente falta de lisura e de compromisso com a verdade.

É possível que as últimas pesquisas neste final de semana caminhem para uma única direção, com os números de cada  instituto se aproximando da verdade real. ( que um ou outro instituto já apresenta).

É que manipular números, além de  fraude,  se revela vergonhosamente  aos olhos do mundo  com o voto do eleitor.

Dessa vez ninguém vai querer sair desmoralizado.(RH)

 MAL ACOMPANHADO

Há um condicionamento na política que ‘obriga’ candidatos a falarem sempre como vitoriosos, mesmo quando amargam baixíssimos índices de aceitação popular nas pesquisas. Na semana passada, durante uma coletiva de imprensa, Hissa Abrahão comentando seu mote de campanha “Antes com o povo do que mal acompanhado”, disse que “não vende” sua alma. Foi indireta a candidatos que aceitaram apoio de ‘adversários’ para fortalecer suas campanhas. Hissa, que fala com a ‘certeza’ de ir para o segundo turno, e se recusa mesmo a conversar com o líder do seu partido, Amazonino Mendes, que ainda desfruta de prestígio numa faixa da população.

CAMINHOS CRUZADOS

 Nesta eleição municipal, os caminhos políticos, de tanto se ‘cruzarem’ chegaram a uma encruzilhada de grupos que se confundem à falta de placas indicativas de quem é quem numa disputa que se caracteriza por ‘motes’ de novidade, inovação e renovação. Até agora, uma coisa é certa: houve ‘mudanças’ nos grupos e palanques, misturando ideologias e posturas completamente antagônicas. Não à toa mais de 42% dos eleitores manauaras ainda não escolheram um candidato para votar nesta eleição. A partir de hoje o eleitor de Manaus tem apenas uma semana para chegar a uma decisão e levá-la para ser depositada na urna no próximo domingo. E a maioria já sabe que ‘indecisão’ não leva a nada.

 ASSOMBRAÇÃO DOS CANDIDATOS

O número que indica a ‘rejeição’, ou seja, o índice de eleitores que dizem não votar num candidato de jeito nenhum é a ‘assombração’ na vida dos que lideram as corridas eleitorais. E o fantasma quase sempre ‘ataca’ políticos que disputam a reeleição ou que já exerceram cargos de gestão pública. Na corrida eleitoral à prefeitura de Manaus, o prefeito Arthur Neto lidera com folga esse quesito, seguido pelo ex-prefeito Serafim Corrêa.  Os dois juntos chegam a ‘somar’ até 58% de rejeição nas pesquisas; Arthur oscila entre 19 e 32%; já Serafim flutua sempre na casa dos 23 e 29%. Mas eles sabem que esse é um item ‘pessoal’ e que terão de buscar votos em outras praias, ‘tirando’ dos adversários ou ‘convencendo’ os indecisos.

Mais Informações

Postado por Moderador às 18:58. Marcadores , . Assine Grátis nosso Feed RSS 2.0. e receba notícias em seu e-mail

Por Moderador às 18:58. Marcadores , . Todos os artigos Possuem Licença Creative Cummons 6.0. Cópias são permitidas somente citando a fonte com Link

0 comentários for "Pesquisa e fraude eleitoral"

Leave a reply

INFO DRIVE

Rádio Vitrine Santa Luzia