Header Ads

  • Últimas

    Nas cidades onde vereadores tiveram salários reduzidos, a maioria deles não irá tentar reeleição

    Em três municípios do Paraná que passaram a pagar apenas o salário mínimo a parlamentares, menos da metade deles vai disputar nova vaga nas Câmaras


    A partir de 2017, os vereadores de três cidades do Paraná passarão a receber subsídio equivalente a um salário mínimo. O efeito mais evidente desta redução foi a queda no número de parlamentares dispostos a tentar a reeleição. Menos da metade dos atuais vereadores de Mauá da Serra, Santo Antônio da Platina e São Mateus do Sul disputam na eleição deste ano uma cadeira no legislativo municipal. Em 2012, essa taxa foi de 63%.

    O maior índice de desistências da reeleição foi registrado em Santo Antônio da Platina, município do Norte paranaense que foi o primeiro a diminuir os subsídios dos parlamentares por conta da pressão popular. Dos nove vereadores da atual legislatura, apenas dois tentarão a recondução ao cargo. Dos desistentes, quatro disputarão a eleição majoritária – nos cargos de prefeito ou vice – e três vão interromper a carreira política.

    O vereador Fábio Galhardi (PMDB), que não será candidato em 2016, afirma que a decisão de não disputar a reeleição não está relacionada à redução dos salários. “Não tomei a decisão por causa da redução. Meu partido coligou aqui e o cenário ficou difícil para minha eleição. Se eu me candidatasse, sairia para uma campanha muito atrás de outros candidatos”, afirmou.

    Na cidade onde o salário dos parlamentares caiu de R$ 3,4 mil para R$ 970, o número geral de candidatos a uma vaga na Câmara Municipal também caiu. Em 2012 foram 106 candidaturas registradas pelo Tribunal Superior Eleitoral e em 2016 foram 98 registros.

    Mauá da Serra

    Em Mauá da Serra, também no Norte do Paraná, cinco dos atuais nove vereadores disputarão a reeleição. Na cidade, os parlamentares alegam motivos pessoais para não disputarem o pleito eleitoral.

    “Eu parei porque tenho que dar um tempo na política, já tinha decidido isso muito antes da redução dos salários. Ou eu saia prefeito, ou parava com a política”, disse o vereador Nicodemos Ferreira dos Santos (PDT). Outros vereadores do município alegam problemas familiares ou apoio a outros candidatos para não disputarem a reeleição.

    Mauá da Serra foi o único dos três municípios que registrou crescimento no número geral de candidatos a uma cadeira na Câmara Municipal. Em 2012 foram 81 registros e, neste ano, 88. Na cidade, o subsídio dos parlamentares foi de R$4,1 mil para R$ 820.

    São Mateus do Sul

    Já em São Mateus do Sul, no Sudeste do estado, o número de candidatos à reeleição não caiu. Entretanto, a queda do número geral de candidatos ao cargo de vereador foi de 17%, a maior entre as três cidades onde houve redução dos subsídios. Enquanto os vereadores da atual legislatura recebem R$ 6,2 mil, os candidatos eleitos que assumirem em 2017 vão receber um valor de pouco mais de R$ 800.

    Nenhum comentário

    Sejam Bem vindos ao Vitrine! Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seu autor. Não aceitaremos mais comentários anônimos. Caso queira dar sua opinião tenha uma conta no Google.

    Rádio Vitrine Santa Luzia

    Rádio Vitrine Santa Luzia

    Post Bottom Ad

    Política no Vitrine