Header Ads

  • Últimas

    Saiba o motivo do feijão estar tão caro nos supermercados

    Nas redes sociais ou nos grupos de família no Whatsapp, você já deve ter lido uma piada ou visto um meme sobre o preço do feijão.



    Quem vai às compras observa como o preço deste grão subiu de um ano para cá, tanto que 1kg de feijão está mais caro que um pacote de 5 kg de feijão. Mas você sabe o por quê?

    A explicação do preço alto é o clima, segundo Caio Coimbra, analista de agronegócios da Federação da Agricultura de Minas Gerais.

    No Paraná, maior produtor do país, as lavouras foram muito afetadas pela chuva e agora, pelo frio. “Oferta menor é sinal de preço em elevação”, aponta.

    Segundo ele, entre abril e maio houve uma redução de cerca de 20% da produção naquele Estado. Minas, o segundo produtor, também sofreu com a chuva.

    O especialista explicou que o preço subiu também por causa dos custos de produção: energia, insumos e mão de obra encareceram.

    Compare

    Em maio, enquanto a inflação oficial do país avançou 0,78%, o feijão mulatinho subiu 9,85%, e o carioca, 7,61%.

    Em 2016, a taxa de inflação já acumula 4,05%, o mulatinho já ficou 37,44% mais caro, e o carioca disparou 33,49%. Já o IPCA avançou 9,32% no mesmo período, segundo o IBGE.



    Memes

    O feijão virou brincadeira nas redes sociais. O tão querido produto brasileiro transformou-se em memes. Um, por exemplo, faz alusão ao transporte do produto até por carro-forte, e outro mostra o feijão como uma joia.

    Fonte: Portal O Tempo



    Brasil decide liberar importação de feijão


    O presidente interino Michel Temer anunciou nesta quarta-feira a liberação da importação do feijão num esforço para diminuir o preço do alimento, cuja alta recente vem impactando a inflação.

    Em nota no site do Planalto, o governo anunciou que a liberação contemplará a importação do feijão da Argentina, Paraguai e Bolívia. Também está sendo estudada a importação do produto do México, após assinatura de acordo sanitário, e da China.

    Segundo o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, "o preço do principal produto na mesa dos brasileiros subiu em função de questões climáticas, que ocasionou a perda de praticamente todas a safra no Centro-Oeste".

    "Isso ocasionou uma queda na oferta e um aumento na demanda, fazendo com que os preços subissem", afirmou o ministro no comunicado.

    Nenhum comentário

    Post Top Ad

    Post Bottom Ad

    Info Drive