Header Ads

  • Últimas

    Juiz Sérgio Moro retoma inquéritos sobre ex-presidente Lula

    Desde o início das investigações, o Instituto Lula e os advogados do petista têm reiterado que ele nunca praticou qualquer ato ilícito



    Os inquéritos e processos de busca e apreensão e quebra de sigilos que têm como alvo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua família foram reativados na sexta-feira pelo juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância, em Curitiba. São frentes que apuram corrupção e lavagem de dinheiro na compra e reforma do sítio, em Atibaia (SP), nas negociações para a compra do tríplex do Guarujá (SP), nos pagamentos para a LILS Palestras e Eventos e nas doações feitas para o Instituto Lula, entre outros.

    O Supremo havia suspendido a tramitação das investigações contra Lula, em Curitiba, em liminar que acolheu pedido da defesa, que questionou a competência da força-tarefa em primeira instância de conduzir os casos. Alguns dos inquéritos, como o da compra do Sítio Santa Bárbara, em 2010, e da reforma executada no imóvel pela Odebrecht, OAS e pelo pecuarista José Carlos Bumlai, estão em fase final, prontos para serem transformados em denúncia formal.

    Sigilo
    O juiz da Lava Jato determinou que os inquéritos devem “tramitar exclusivamente” entre o Ministério Público Federal e a autoridade policial e que “deverá ser observado o sigilo decretado pelo STF” sobre a interceptação telefônica que monitorou conversas de Lula. Ou seja, os grampos, muitos já divulgados, ficam agora formalmente sob sigilo.

    Nessas interceptações foi capturada uma conversa do ex-presidente com a presidente afastada, Dilma Rousseff, um dia antes de Lula ser nomeado por ela ministro da Casa Civil. O grampo foi invalidado como prova por decisão do ministro Teori, relator da Lava Jato no Supremo. “Ressalve-se, por óbvio, o diálogo datado de 16 de março de 2016, entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a Exma. Presidente da República Dilma Rousseff, atualmente afastada, já que invalidado”, reforça Moron o seu despacho. O juiz federal da Lava Jato determinou ainda que as defesas dos investigados reapresentem a ele “os pedidos formulados perante o STF”.

    Defesa
    Desde o início das investigações, o Instituto Lula e os advogados do petista têm reiterado que ele nunca praticou qualquer ato ilícito. O Instituto e a defesa reafirmam enfaticamente que o tríplex do Guarujá e o sítio Santa Bárbara, de Atibaia, não pertencem a Lula. Os valores recebidos pela LILS são relativos a palestras realizadas pelo ex-presidente. Na sexta-feira, Teori decidiu enviar para a Justiça de Brasília a denúncia já apresentada contra Lula por suposta participação na tentativa de impedir a colaboração premiada do ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró.

    Teori sustenta que o caso não tem conexão direta com a Lava Jato e, por isso, não precisaria ser enviada para a 13.ª Vara Federal de Curitiba. A decisão contrariou um pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que queria que o caso ficasse sob os cuidados de Sérgio Moro.

    Estadão

    Nenhum comentário

    Sejam Bem vindos ao Vitrine! Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seu autor. Não aceitaremos mais comentários anônimos. Caso queira dar sua opinião tenha uma conta no Google.

    Rádio Vitrine Santa Luzia

    Rádio Vitrine Santa Luzia

    Post Bottom Ad

    Política no Vitrine